18/05/2013

O que aconteceu

I miss you

A Dani disse que eu não iria postar, e é verdade eu realmente não vou. Eu estou de castigo, sem celular e sem computador até sexta feira. Mas meu pai me deixou entrar no fim de semana porque na casa da minha avó não tem muito oque fazer. 

Vocês notaram, provavelmente, que eu fiquei sem postar por muitos dias. Eu não queria falar oque estava acontecendo aqui, mas agora que já passou, vou tentar. Tentar? É, tentar. Porque é difícil. É a primeira vez que eu vou escrever, então não sei como vai sair... Já adianto: o texto ficou imenso, se você ler, obrigada de verdade.


Bem, meu avô andava apenas de cadeira de rodas, ele não tinha mais movimentos nos braços e nas pernas. Todo final de semana, nós vamos para a casa da minha avó, que fica em outra cidade (de onde eu moro até essa cidade são 40 minutos). No dia 25 de abril, meu avô começou a sentir dores na barriga e quase não estava comendo. No final de semana, chegamos na casa dos meus avós lá pelas 15:00 horas. Meu pai ligou para um médico amigo dele e pediu para ele vim ver oque meu avô tinha. Ele disse que o diafragma dele estava "apertando" (o médico disse outra palavra que eu não lembro '-') o estômago. Meu vô teria que ir para o hospital tomar soro, já que ele não comia. Ele passou a noite lá e no domingo o médico disse que na segunda ele iria para a cidade que eu moro (a cidade é uma metrópole regional e até que é conhecida aqui no Brasil) fazer uma cirurgia. Mas a situação do meu avô era muito grave. Ele fez a cirurgia. Quando ele chegou no hospital, ele tomou remédio para dormir, e ficou uma semana assim. Na terça feira (07/05), meus pais foram visitar ele no hospital, e minha mãe disse que ele estava muito mal, ela não sabia nem se ele conseguiria passar a noite. Na quarta (08/05) minha mãe acordou eu e a minha irmã ás 7:00 horas. "Putz, to atrasada pra escola" porque as aulas começam nesse horário. Meu pai disse que ás 1:27, o médico que fez a cirurgia e estava cuidando do meu avô ligou. Meu pai disse que meu avô virou uma estrelinha. Ele se foi. Por isso não postei esses dias. Eu não tinha nem vontade de postar.

Eu só lembro que quando eu cheguei na minha avó no sábado dia 27 (de abril) eu fui ver o meu avô no quarto e ele estava dormindo. Nem abracei ele nem nada para não acordá-lo, já que ele estava ruim. Aí lá pelas 16:00 hrs do mesmo dia, quando ele estava indo pro hospital, estava uma correria aqui. Todo mundo estava com pressa. Eu vi ele acordado no carro, mas vi de longe. Eu só abanei a mão e meu avô deu um sorriso e piscou pra mim. A pressa era tanta, que eu nem pude ir lá e abraçá-lo, dizer um oi pelo menos. Eu tinha certeza que eu iria poder fazer isso depois, quando ele voltasse. Eu me arrependo disso. Eu devia ter atrasado eles por apenas um minuto. Porque eu nunca mais vou dar um abraço no meu avô. Eu nunca mais vou poder ouvir as broncas dele porque eu sentava toda largada no sofá. Eu nunca mais vou ouvir a voz dele, ver o sorriso dele. Mas agora eu sei que ele está num lugar melhor. Nós cuidávamos dele aqui, agora ele que cuida da gente. Sempre que virem uma estrela muito brilhante no céu, podem apostar, vai ser ele. Obrigada por tudo, eu te amo.

Eu escrevi isso com um nó na garganta, segurando as lágrimas. Poxa, eu não quero chorar porque se não eu faço os outros chorarem e também ficarem preocupados. Se você leu todas as 669 palavras, obrigada de verdade. É porque você realmente se importa com os outros; você se importa comigo. 

Beatriz

12 comentários:


  1. Nossa, sei como é isso, sinto falta do meu avô até hoje! :(
    A perda, por mais que seja esperada, sempre dói!
    Só te desejo força pra você e sua família; meus pêsames.
    E com certeza ele está em um lugar melhor agora.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada.. Eu não conheci o meu avô materno, ele faleceu antes de eu nascer..
      A gente agradeceu por ele não sofrer.. acho que ia ser muito pior ele ficar sofrendo

      Beijos

      Excluir
  2. Eu não conheci meu avô, sinto muito pelo seu. Espero que você e sua família fiquem bem, vai ser difícil superar essa perda, mas ele está em um bom lugar, e sempre vai estar com você!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também não conheci o meu avô pai da minha mãe.. obrigada, no começo é difícil, mas depois a gente see acostuma.. Beijos

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tás a gozar? A Be a desabafar, a passar uma situação difícil e tu "Aceitas afiliação?" blá blá
      Por favor...

      Excluir
  4. Be, sinto muito pelo teu avô! Não posso dizer que
    sei o que é sentir isso porque não sei. Graças a Deus tenho todos os avós vivos e de boa saúde. Mas o teu avô está num bom lugar olhando por ti e agora ele já não precisa mais de andar
    de cadeira de rodas no sítio onde está!
    Beijos

    (PS Me deixaste a chorar com o texto. Realmente sinto muito...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa, a intenção não era fazer vocês chorarem, era só esclarecer mesmo.. É, agora ele está com Deus, num lugar ótimo.. Obrigada Cats

      Beijos

      Excluir
  5. Eu nunca senti isso, por que meus avós faleceram antes mesmo de eu nascer. Mais confesso que senti a sua dor através de suas palavras, e espero que as minhas ao menos a confortem um pouco: Lembre-se sempre dos bons momentos, eles devem prevalecer mais que os ruins :)
    Beijuhs. || Ieah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Juliana.. eu também nunca tinha perdido alguém próximo, só tinha perdido uma bisavó e um primo de segundo grau.. Obrigada, vou lembrar de todas as coisas boas :)

      Excluir
  6. Peço desculpa pelo encomodo, de ter pedido afiliação, mas já tinha pedido antes e nunca mais tive uma resposta, sinto muito!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem problema não.. É que eu esqueço de olhar os blogs porque está corrido esses dias..
      Eu aceito sim, vou te colocar

      Excluir

Ei, vai comentar? Obrigada! Mas antes..

Eu leio todos os comentários.
Tentarei responder todos eles, mas não tenho tempo para retribuí-los.
Respeito. Você tem o direito de criticar e expor sua opinião, mas respeito sempre.